Comparação em vídeo de A Plague Tale: Requiem no PS5, Xbox Series S/X e PC


Já disponível para os consoles de nova geração e PC, A Plague Tale: Réquiem traz em sua bagagem a continuação da história de Amicia e Hugo, que se passa 6 meses após os acontecimentos do primeiro título, na França Medieval do século 14. Dito isso, o já tradicional canal do YouTube não encontrado. ElAnalistaDeBits comparação um jogo não PS5, Xbox Series S/X E computadorVale lembrar que apesar de não estar no vídeo abaixo, o jogo também está disponível para Nintendo Switch.

Nos consoles da Microsoft ou jogo está rodando em 1080p/30fps | 40fps em 120hz no Série S em 1440p/30fps | 40fps em 120hz não Série X. Jano PS5 são 1440p/30fp | 40fps em 120hz. No PC, por sua vez, o jogo tem 2160p rodando no máximo As placas usadas no comparativo são: RTX 4090, 3080, 3070Ti, 3060Ti, 3050.

Quanto ao tamanho do arquivo do jogo em cada plataforma, são 51,90Gb nos consoles da Microsoft, 50,03Gb no PS5 e 47,07Gb no PC.

A descrição do vídeo da análise traz algumas informações importantes sobre o teste.

Nos console, A Plague Tale: Réquiem 30fps sem modo 60hz e 40fps sem modo 120hz O jogo também suporta VRR. Xbox Series X é mais estável nos consoles. PS5 tem problemas de desempenho em algumas áreas (somente em casos especiais)
oh Xbox Series S tem alguns registros, texturas, vegetação, sombra de visão e reflexos na distância pc, o tem mais vegetação, melhor vegetação de ambiente sombras e filtração anisotrópica.

A Plague Tale: Réquiem é um dos primeiros jogos com DLSS 3 + Frame Generation support at série RTX40. Com esta técnica, é possível atingir mais de 160fps em média com uma RTX4090 sem ultra

Por fim, os tempos de carregamento são semelhantes em todas são 4 plataformas.

Mais sobre A Plague Tale: RéquiemConfira nossa análise que conta que ”Quatro anos depois, A Plague Tale: Requiem chegou para encantar os jogadores e mostrar que é possível fazer uma sequência com qualidade. , A Quta de Plague po”, Confira nossa análise de análise. : Requiem chegou para encantar os jogadores e mostrar que é possível fazer uma sequência com qualidade.

Requiem segue sendo um jogo de ação em terceira pessoa, uma mistura de sombrios e aterrorizantes na medida certa, é possível se sentir em um jogo de mundo aberto, mas não se engane”



FONTE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *